quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Oruã - Sem Benção / Sem Crença

Foto: Igor Freitas Lima

Perdoando um pouco esse conceito não pensado, a maioria das músicas provavelmente pode se separar em três canais diferentes: ideias fictícias, pensamentos construídos depois e pensamentos capturados muito no momento. O disco de estreia da Oruã é uma coleção de músicas que agregam diversas possibilidades, as músicas foram construídas e, em seguida, embebidas no epicentro das experiências que as moldaram.

Uma das trilhas sonoras mais sutis para esta ponte entre o final do verão e além, o álbum é uma exibição tênue de músicas estranhas, aparentemente esculpidas na cabeça radiofônica de alguém e apresentada, delicadamente, aos que tiveram a sorte de tropeçar no brilho bonito que ressoa de dentro.

Gravado 99% no Escritório, 'Sem Benção / Sem Crença' é uma seta espinhosa, que parece entrar no quarto, proclamando tudo o que pode antes mesmo de começar a pensar sobre como tomar seus arredores. Criado como um registro que "procura tanto romantismo quanto trivialize o companheirismo e a introversão experimental", o empurrão-e-repuxo que essas noções alcançam está presente, as músicas ocasionalmente reclináveis ​​só para permitir momentos de respiração antes que eles se desviem de novo, desarmado e desequilibrado, e ainda mais atraente para isso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário