quarta-feira, 12 de abril de 2017

Vinicius Mendes explora as sutilezas do íntimo em "Mercúrio"



Um artista, assim como o deus Mercúrio, manifesta diversas facetas: é poeta e mercante, mensageiro e inconstante. Vinícius Mendes, compositor de Taboão da Serra/SP, tomou a figura mítica de referência e fez "Mercúrio", seu segundo disco. Produzido por Lucas Silva (LVCASU) e com participação de Theuzitz, o disco é lançado em 11/04 pelo selo Pessoa que Voa (SP).

Vinícius descreve seu segundo trabalho como "um disco sobre a vulnerabilidade e a incerteza que emanam de qualquer processo criativo". Em suas composições, questiona o legado de sua música desde "Home is ______" (2016) e a glamourização da depressão. Suas letras, pela primeira vez escritas todas em português, demonstram uma maturidade crescente em relação ao seu primeiro disco.

Influenciado por artistas como Elliott Smith, Joanna Newsom e R.E.M, as oito faixas de "Mercúrio" são permeadas por uma sonoridade predominantemente acústica e crua e que busca as suas resoluções composicionais dentro de pequenas pausas, intervalos e intervenções pontuais de outros instrumentos e vozes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário