sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Chapa Mamba - Remoto






































Chapa Mamba me faz cócegas no ouvido desde o mês de janeiro de 2015, quando a banda carioca lançou por aqui seu segundo registro, Banda Forra . Os vocais simples e com estética DIY de Stêvz garante uma sonoridade sempre redonda nos seus trabalhos. 

O novo disco é quase um soundbites de programas de TV como "Freaks e Geeks", "The Office" e "Scrubs", Remoto é um hibrido conjunto de dez faixas com começo e fim. As canções reverberam um instrumental que muitas vezes se sente como se estivesse em ponto de ebulição, trabalhando durante a noite, enquanto o resto do mundo vai sobre sua rotina noturna de descanso.

Devido a isso, juntamente com o crescimento pessoal e exploração que é descrito dentro, Remoto é imensamente pungente; Às vezes pesado por tais coisas, mas sempre disposto e pronto para a batalha através deles, para passar para o que vem em seguida. O humor é sempre sombreado, uma lâmpada mal iluminada no canto do quarto oferecendo apenas luz suficiente para trabalhar. A sonoridade macia suporta tudo, com o molde do vocal escasso e rachado de Stêvz. Como um caráter de ligação, não distante pessoal ou removido da realidade que começa às vezes, como uma esmagadora, inteligente, infecciosa e brilhantemente seta que orienta o duo (às vezes trio) para um novo caminho, eminentemente excitante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário