quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Alles Club - ''1999''

Foto: Fernando Fazio

Há discos que você acaba de escrever algo e te puxa para vários lugares diferentes, é um sentimento que você sente antes mesmo de sentar-se, que a caneta execute algo; que tudo o que queria dizer já foi dito. ‘’1999’’ se sente como o documento final desse ponto de inflexão entre a idade adulta; o cansaço do envelhecimento antes de estarmos prontos, as consequências dos erros que cometemos e continuamos fazendo, a nostalgia de algo que poderia ter sido feito lá atrás, um registro de sentimentos opacos presente em uma fita cassete, a pura brevidade da vida humana olhando você de volta nos olhos pela primeira vez. Introduzido pelo imediatismo de "velhos amigos", com a sua exploração de uma vida pendurada por um fio, juntamente com um sentimento ardente de nostalgia. 3 faixas com um conjunto de letras que pode varrer o tapete debaixo de você com um dístico aparentemente simples e sincero  que define o tom para um registro que, embora curto e fugaz, vai ficar com você por muito, muito tempo. 

O EP de estreia da Alles Club é pungente e moldado por um sentimento de saudade tingido de verão (ou talvez seja simplesmente o efeito que tem sobre mim), 1999 desenrola muito bem em todas as suas poucas e longas faixa, apresentando-se como uma história verdadeira, rica, vibrante, totalmente realizada depois de vários anos, com canções de viajar, de envelhecer antes de estar pronto para fazê-lo, de uma terra moldada por estradas intermináveis e noites intermináveis, das estrelas e do sol e as vidas tranquilas que pontuam a quietude. Uma varredura intemporal, graciosa de magia que ainda se arrasta para a minha consciência agora e novamente, se eu estou na sua presença ou não; é algo que nem sempre é o caminho. 

"Como você ficou tão enroscado em meu pensamento?", Tais sentimentos foram ecoando pela minha própria cabeça em diferentes pontos ao longo da audição do EP . É preciso uma conexão especial para um disco ou uma música para se sentir como um apêndice de si mesmo; quando isso acontece é algo a ser pontuado, e por isso devemos ter toda vontade de gritar sobre isso quando alguém consegue fazer. Eu não sei quantas vezes eu ouvia as canções desse pequeno e significante lançamento, mas, contra todas as probabilidades, a recompensa de tê-lo rodando nos meus fones foi gratificante. Canções acidentadas, belas linhas que se assemelham ao shoegaze 90s, da mesma forma que as memórias que espalharam raízes e flores na superfície, também espalham boas recordações quando precisamos delas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário