terça-feira, 22 de novembro de 2016

Jagsax - Nas ruas do deserto, da selva e do sertão





























"Como é que a não ser, diferente do que nunca foi?" 'A Estrada', de Cormac  McCarthy

Abrindo com uma citação de um dos livros mais poderosos, sobretudo totalmente devastador e incógnito já escrito, deve ser um indício suficiente para quem este comentário está sendo dirigido. Enquanto "Nas ruas do deserto, da selva e do sertão"  - exploração requintada de confusão e ambivalência foi desencadeada por algo totalmente diferente para o frio apocalíptico do primeiro ep do Jagsax, que convoca alguns paralelos emocionais misteriosos - e é tão frenético e cativante como esperávamos.

Inspirado pelos gostos de Slowdive e Radiohead há um old-school definitivamente na sensação de grande parte das faixas, no entanto, é tudo com tanto gosto fresco-hipnótico que nunca se soa estagnado. A faixa principal "Sunshine" é uma explosão brilhante de math rock melódico, com acenos ao Patife Band, enquanto as demais oferecem algo que se entrelaça entre o jazz rock e o experimentalismo.

Ambas estéticas trabalham para a banda e, como tal, a coleção de cinco faixas faz ressoar um sentimento de limbo. Se a música é uma constante, uma língua que não precisa de tempos, em seguida, fala com a possibilidade de silêncio completo e eterno contagioso; um sentimento que molda um amor para as bandas do passado para algo ao mesmo tempo firme e dinâmico. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário