sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Bad Rec Project - Every Union Should Be A Lovely Union






































Há  tanta música lo-fi triste sendo executada lá fora, pode ser esmagadora e, às vezes, um agravante porque a estética foi desgastada inúmeras vezes, só para observa algum samaritano solitário pegar tudo de volta de novo e provar que não há esperança para aqueles com audácia e uma guitarra. Talvez Caíque e seus Bad Rec não sejam uma dessas pessoas ainda, mas está no caminho certo com seus bits de lançamento de ‘’Every Union Should Be A Lovely Union’’, que leva a mentalidade/musicalidade minimalista e expandi-la tanto quanto for cativante.

Enquanto o disco não dura mais do que míseros 21 minutos, o ouvinte escuta uma história que pode estender-se por anos. ‘’Love Life Report’’ é apenas um longo minuto e só fornece uma simples e importante progressão de acordes menores enquanto a voz calmante suave mergulha, desliza, e nada em torno das cordas do violão, que têm um toque muito bem colocado de reverb para arrastar o som, quase como se quisesse retroceder, mas continua a marchar para frente através da música. As letras do registro parecem girar em torno de relacionamentos tóxicos, que não é facilmente evitável, que é uma boa mudança de ritmo a partir do clássico "Oh, eu te amo, mas você não me ama de volta" ou o "eu" me sinto triste porque você se foi. Conteúdo lírico encapsulado em um quarto lofi.

Como eu disse, o lofi é cada vez mais representativo e presente, mas é incrivelmente difícil de copiar o conteúdo emocional que algumas bandas apresentam. Bad Rec Project definitivamente foi na direção certa, colocando para fora 9 músicas relativamente curtas, todas com seus próprios momentos e melodias cativantes e praticamente deixando o ouvinte implorando por mais. O vocal tem controle fantástico sobre sua voz e é na faixa onde é alto o suficiente para ser bonito, mas baixa o suficiente para não ser irritante, mostrando domínio decente sobre melodia em que o fraseado vocal não é em todo o lugar e combina bem com o estilo lofting preguiçoso da guitarra. Um disco de despedida, começo ou reencontro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário