quarta-feira, 19 de outubro de 2016

A iniciação de Rita Oliva: “Instinto” revela novo ciclo da multi-instrumentista do Cabana Café e do duo Parati


























Integrante da banda Cabana Café e do duo Parati, Rita Oliva ressurge como PAPISA em seu mais novo trabalho solo. Agora, ela se revela multi-instrumentista, autora e executora de sua própria obra, inspirada no arcano 2 do tarô. Quem abre os caminhos para esse novo momento é a faixa “Instinto”, música que fala sobre seguir os próprios desejos, acolher o instinto animal e se libertar sem culpa. O Ritual de Passagem (durante a Lua Minguante) será a primeira oportunidade de conferir as músicas ao vivo. O show acontecerá dia 28/10 no Que Tal Hostel (São Paulo), com formação solo e intimista (voz, guitarra e loops).

Nos compassos descompassados de “Instinto” coexistem a doçura e a força, ascendendo a um estado de sonho e delírio - talvez, de outra forma de percepção. “Nada nessa vida é muito real, então eu posso ser natural, aliada do desejo”, versa o refrão da canção. O single dá uma prévia do disco (que será lançado em 2017) e dos caminhos percorridos por Rita, com olhar atento ao misticismo, à energia feminina e ao que nos é oculto.

“O processo que usei para fazer o single é um experimento e uma novidade pra mim. Sempre quis fazer algo em que eu gravasse tudo, e finalmente decidi fazer. A produção foi feita basicamente no meu home studio. Comecei com beats, guitarra e voz. Depois substituí o beat por bateria e somei camadas de synth, guitarras e vozes”, conta a compositora sobre seu processo, autoral e vívido.

Bateria e vozes foram gravadas no Mono Mono Studio, em São Paulo. Guitarras foram gravadas no home studio da artista e também no Mono Mono. Apesar de ser um trabalho solo, os músicos Daniel Fumega (Macaco Bong), Fabio Gagliotti (aka V.Masta) e Rafa Bulleto (BIKE) também contribuíram com o projeto. A mixagem é de Taian Cavalca e a masterização é de Maurício Gargel. Para lançar PAPISA, o selo escolhido foi o PWR Records, de Hannah Carvalho e Letícia Tomás, meninas que tem movimentado intensamente a cena nordestina. O selo é dedicado exclusivamente a bandas que tenham pelo menos uma mulher como integrante, com o objetivo de dar mais visibilidade a elas.

Como resultado, “Instinto” traz elementos simbólicos tanto em sua sonoridade mântrica e carregada de camadas instrumentais quanto em sua letra, que questiona a ideia cristã de bem e mal. “É inspirada na mitologia celta, nos rituais das estações, na conexão com a terra. Faz parte da busca de uma forma mais feminina de encarar o mundo, integrando mais do que excluindo, acolhendo mais do que discriminando, inclusive a própria sombra, a morte, como partes fundamentais do todo”, instiga Rita. Se os ciclos são importantes à mulher, este é fundamental para PAPISA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário