segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Badhoneys molda a estética do grunge da velha escola com um brilho stoner, que cria uma atmosfera incrivelmente única





















Apresentando novas provas para a alegação de que os anos 90 estão de volta, pós-grunge, os roqueiros Badhoneys entram novamente em cena com seu primeiro álbum full, ‘’Ghost’’. Admito que amo até hoje (profundamente) o disco anterior com seus sons de guitarra da banda, muitas vezes em pânico, bem como a voz agridoce da talentosa vocalista Giana Cognato. Eles possuem uma certa complexidade que não é comum dentro do estilo de música que trabalham. Ghost é sobretudo um disco que veio para colocar a banda como uma aposta real do novo rock, uma espécie é identidade coletiva apurada.  Claro, existem os momentos de silêncio, inquietantes, assustadores, que a banda tende a colocar cuidadosamente em suas canções, mas que são geralmente apenas alguns momentos em que eles começam a oxigenar, em particular, a capacidade do trio para fazer o ouvinte se sentir desconfortável.

Quando ‘’Sheep skinned wolf’’ me bate pela primeira vez, eu lembro claramente de uma sensação de medo rastejando sobre mim, como se a música estivesse prestes a dar uma enorme volta para o pior. Isto, junto com alguns momentos bastante assustadores na segunda metade do disco, prova que o grupo é ainda capaz de brincar com as emoções do ouvinte através de nuances musicais e líricas. Uma vez que este aspecto particular da sua composição foi uma das minhas peculiaridades favoritas sobre Ghost, eu estou feliz de ver que eles são ainda mais do que capazes de trabalhar esse aspecto em sua música. Talvez a coisa que mais gostei sobre o disco, no entanto, foi a forma como a banda não só foi capaz de afetar o estado mental do ouvinte, mas se conectar com eles em um nível emocional tão verdadeiro e intenso. 

Ghost é um disco cheio que mostra o verdadeiro talento e paixão pela música honesta. com saborosas progressões de acordes apoiados por um bom leque de ranhuras graves (The Hot Cross Buns, Metz, Pissed Jeans, Shunkan, Speedy Ortiz, Pop). As músicas são organizadas de forma suficiente para manter o ouvinte interessado. Eu posso dizer com segurança que esse lançamento soa tudo o que já foi e o que será a Badhoneys.  Algo que reconhecemos imediatamente como deles, mas deu-nos algo mais para refletir sobre. "Essência e Raiz" era exatamente o tipo de semelhança que flutua incondicional/ necessário para ficar mais verdadeiro à suas origens do que tem sido nos últimos tempos. É um lembrete de que o punk/grunge não está morto, e não vai morrer. É um lembrete de que a banda não é apenas um trio barulhento. É um lembrete de que Ghost é e será uma força e fonte de influência para trabalhos futuros. 

Baixe o disco AQUI 

Nenhum comentário:

Postar um comentário