quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Sketchquiet / ''Deep Songs For A New Reflection''/ (2015)






































Escrever e executar sob o pseudônimo Sketchquiet, Mário Alencar abre a separação com um conjunto de faixas que incidem sobre perda e reflexão autoconsciente. Às vezes, synths fuzzed-out têm precedência sobre trilhas abafadas de filmes, apenas para misturar e voltar com o resto do acompanhamento para fora, como ouvido em "Flowers, Animals & Blue Skies". Simples, riffs dedilhados, qualidade lo-fi é uma constante em todas as faixas, mas a predominância parece ser a guitarra, narrativas e melodias vocais em synths ambient, reverb e sutis batidas que lembram de longe: Told Slant, 36, Lowercase Noises, Mogwai e sem as pretensões de Gold Panda, Clams Casino ou Dolphins into the Future.

Musicalmente, o registro é simplista e agradável, com muitas texturas completas, abertas mergulhadas sobre saborosos preenchimentos de baixo, guitarra e samples. Escutas repetidas irão mostrar detalhes intricados na música do projeto. ‘’Deep Songs For A New Reflection’’ se desvia da fórmula tradicional: 'Preocupações, com uma vantagem de guitarra twinkly sobre tambores complexos que leva a um clímax agressivo’. Trilha sonora perfeita para um chá quente no inverno ou deitado sob o barulho da chuva caindo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário