quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Floating Kid - Left / 2015






































Repleto de ambiente lúgubre, acordes dissonantes, e muita distorção, Left ecoa muitas  melodias inteligentes ("Return Home", "Waste"). O disco não faz nada se não cortar o calor do verão obscuro com uma refrescante mistura de canções que são divididas em uma limonada fresca e uma bebida energética eletrizante. Agora que essa metáfora foi longe demais, vamos falar sobre os detalhes de como a Floating Kid criou um álbum fantástico que vai fazer você dançar, e talvez até mesmo criar algumas reflexões.

Há um encanto infantil para tudo. Os vocais sussurrados, tímidos e derivados debaixo da instrumentação emo-punk em um sonho, quase shoegaze, formada em "algum lugar na alta flutuação de grungebands", uma vez que se torna progressivamente caustico até que explode em gritos para fora, muito semelhante ao de Small Steps, Indian Summer, Pygmy LushTigers Jaw, Lilac Daze ou Superchunk.

Left é o tipo de efeito sonoro que transcorre como fogos de artifício no quarto de um adolescente, com direito a estouros, estalos e sonhos. Fica demostrado que a banda tem mais alguns fogos de artifício na manga, só resta esperar o próximo espetáculo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário