quarta-feira, 28 de outubro de 2015

THE AUTOMATICS - DIAGRAMMA (2015)


Sabemos que é uma guitar band de Natal (RN) e que lançou seu décimo álbum. Foi muito difícil colocá-los em um gênero exato por causa da vasta gama de influências listada em sua página no Bandcamp e o pequeno documento de informação que descobrimos sobre eles, mas depois de algumas pesquisas, fica fácil falar desse lastro particular de lançamentos em que Diagramma fica cada vez mais audível.

Confesso que tive duvidas sobre a "legitimidade" deste registro, porém, foram apagadas cerca de 15 segundos para a faixa de abertura, ‘’The Outsider’’. A qualidade da produção  funciona tão perfeitamente para destacar o quão talentosos os músicos do The Automatics realmente são, e parece como se cada faixa trabalhasse para afirmar ainda mais essa noção. Os tambores no elegante compasso rítmico são ainda mais intensos , enquanto a guitarra cintilante e baixo se fundem para criar uma teia insuflável para os vocais apaixonados a contorcer-se quase sem fôlego por diante. 

Independentemente do misterioso zumbido alternativo post punk, o álbum é realmente doce. Não é doce como o açúcar revestido ou necessariamente repugnante, mas sincero. Eles descrevem suas músicas de forma "honesta" e com a velha amargura juvenil que aqui contrasta com o doce.  É o tipo de álbum que faz uma pessoa dizer: "Eu quero continuar a ouvir esses caras para o resto da minha vida". Eles parecem ter muito mais talento do que estas dez canções acabam mostrando. Eu acho que se resume à mistura e qualidade de gravação apresentados no disco.  Então, como eu disse, eles merecem mais do que o que temos aqui. Ainda sem saber o tipo de gênero, os vocais jogam o ouvinte para fora do trem guitar band, mas os instrumentais acabam por si só colocando os mesmos de volta em um emaranhado caos alternativo atmosférico. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário