quinta-feira, 11 de junho de 2015

Som no Subsolo leva Mauricio Pereira e Rafael Castro ao Paço das Artes

Foto: Gal Oppido
Mauricio Pereira e Rafael Castro são as atrações da 5ª edição do Som no Subsolo, projeto musical que acontece no dia 19/6, às 21h, no Paço Das Artes (Av. da Universidade, 1 - Cidade Universitária, São Paulo). A entrada é gratuita e recomendada para público acima de 16 anos.


Criado dentro do Paço das Artes em parceria com o músico Thales Othón, da banda Primos Distantes, o Som no Subsolo promove desde 2012 apresentações de shows de importantes bandas do cenário da música independente no Espaço Subsolo, com capacidade para cerca de 1.500 pessoas. Agora, é a vez de dois artistas que se destacam na cena.

Mauricio Pereira, ator, locutor, jornalista, cantor e compositor paulistano, reconhecido por seu trabalho com ‘’Os Mulheres Negras’’. Com 6 discos gravados, mantém sua linha de letras paulistanas, filosóficas e cheias de trocadilhos, mas sem perder o bom humor e a intelectualidade. Maurício trabalha na divulgação de seu mais novo CD, ‘’Pra Onde Que Eu Tava Indo’’, com um repertório composto de músicas inéditas, releituras e canções de discos anteriores, destacando ‘’Mergulhar na Surpresa’’ que comemora 20 anos de atividade e até mesmo músicas como ‘’Trovoa’’ do disco ‘’Pra Marte’’. Seu show caminha do rock, pop, MPB, passando pelo folk até chegar à música italiana.



Rafael Castro é considerado uma das maiores revelações da música independente do Brasil nos últimos anos. Jovem multi-instrumentista autodidata, compõe os arranjos de todos os instrumentos de suas músicas. Ao longo da carreira, lançou 9 discos com mais de 100 canções gravadas, todas disponíveis para download gratuito. Atualmente, ele divulga seu novo trabalho, “Um Chopp e um Sundae”.

Já no título, "Um Chopp e Um Sundae" carrega um convite ao deleite refrescante de sua audição enigmática que pode remeter simultaneamente a um programa de auditório infantil com moças exibindo as coxas e um filme de ficção científica perdido na última prateleira da locadora. Captado em seu estúdio móvel entre a capital e o interior de São Paulo, o disco marca a reviravolta de Rafael Castro com a chegada de uma persona pop, colorida e requebrante



Nenhum comentário:

Postar um comentário