sexta-feira, 19 de junho de 2015

Aldan - Terceiro disco do quarteto é expressivo e bebe na fonte do experimentalismo eletrônico



Com suas letras tragicômicas, melodias divertidas e shows empolgantes, a Aldan vem se destacando na cena independente de Belo Horizonte. Em atividade desde 2006, o quarteto formado por Marcus Vinícius Evaristo (voz e guitarra), Davi Brêtas (guitarra), Bruno Carlos (bateria e voz) e Fernando Bones (baixo e voz) apresenta canções mergulhadas em sentimentos nada politicamente corretos, como vingança, inveja, ira e indiferença. Tudo isso com ironia e senso pop.

Em 2010 a banda lançou o EP “Você já roubou hoje?” e o disco "Uma nova humilhação" (2012) agora apresenta seu terceiro trabalho, um disco cheio de samplers e elementos eletrônicos, intitulado “Pode Ser que Daqui um Tempo Eu Tenha 30”. Gravado por Fabrício Galvani, no Estúdio Casa Antiga; Lucas Mortimer, no Estúdio Mortimer; e Fernando Bones, o novo disco traz uma banda mais experimental, intensa e madura.

O elogiado desempenho da banda ao vivo esteve presente em festivais renomados do cenário mineiro, como o Circuito Conexão Vivo (BH), Alternativo Rock Fest (Itabirito), Grito Rock (Poços de Caldas, Andradas e Sabará), Festival Mamute (Lagoa Santa), OutroRock (BH), Festival Fora do Eixo (BH) e Transborda – Festival de Artes Transversais (BH). Especialmente em 2011 a banda alcançou grande destaque com o lançamento de seu primeiro videoclipe, da música “Chá-Chá-Chá”, que mescla animação e realidade, e com a seleção, através de votação popular, para o Edital de Seleção Artística Conexão Vivo 2011/2012, como a segunda banda mais votada do país. Por esse edital, a Aldan se apresentou para mais de cinco mil pessoas na edição do Conexão Vivo em Belém do Pará.


Nenhum comentário:

Postar um comentário