terça-feira, 28 de abril de 2015

Jovem Werther - Melancolia e alguns copos de cerveja amarga


Jovem Werther é uma banda paulista de real emo e punk- depressivo -melancólico -lúgubre. Definir sua atmosfera silenciosa e sua sonoridade reflexiva são essenciais para tentar entender a cabeça perturbada desse jovem infeliz. Sensação suave, pura com facilidade. No entanto, existe uma dor presente nas músicas, cobertas por camadas de ressonâncias,  bateria claustrofóbica e vocal atmosférico.   As melodias apresentam uma certa doçura cercada por uma sensação de frio;  bem como uma reminiscência de dor física. "Tudo o que sobe deve convergir" afundamentos de volta para o ponto mais baixo encontrado, no início do EP, mas conseguem redimir-se para o fim intenso da faixa ‘’Ultimo Farol’’, bateria e vocais caóticos.


 Não é nenhum segredo que, em 2015, uma mentalidade do-it-yourself se tornou abundante na cena musical underground. Bandas surgindo, gravando, fazendo seu rolê acontecer. As dificuldades são iguais para todos e saber conviver com elas parece ser o mecanismo de sobrevivência.  Jovem Werther  oferece música que não é apenas visceral,  mas também consistentemente interessante e verdadeira. Debaixo do ruído e repetição, há um registro  fantástico e dinâmico que tem fluxo consistente, bem como canções de suicídio coletivo juvenil. Mais uma vez, a banda mostra por que eles continuam a ser uma das sobreviventes e importantes do emo –punk - noise , mesmo bem na década de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário