quinta-feira, 30 de outubro de 2014

No Crowd Surfing - Pretending I'm Not Here


































Crowd surfing é o processo no qual alguém é passado por cima das cabeças de várias pessoas durante um concerto, transferindo a pessoa de uma parte do recinto para outra.

O “surfista” é apoiado pelas mãos dos espectadores do concerto. Acredita-se que terá sido inventado por Iggy Pop.

Na maioria dos concertos e festivais, o “surfista” passa uma barreira em frente do palco onde é puxado para fora e posto em pé pelos seguranças. Depois, é enviado de volta para o lado ou para a parte de trás dos espectadores no final da barreira podendo mesmo chegar a ser expulso do recinto (dependendo das autoridades).

Crowd surfing ocorre geralmente apenas na parte da frente da audiência onde a massa de pessoas é densa o suficiente para suportar o corpo de uma pessoa. É bastante popular em concertos de heavy metal, punk, rock e indie. Interessante o som dessa banda de Cianorte/Maringá (PR), que desliza na verve do alternativo, apoiado por resquícios de Sonic Youth e Pavement. Tudo muito bem feito com uma vontade imensa de ouvir por horas e sem deixar o corpo descansar. 

Arranjos sujos e melodias de vozes sempre grudentas e harmônicas com uma sonoridade estéreo livre dos exageros costumeiros do gênero. Pretending I'm Not Here soa livre e apresenta uma banda com um potencial gigantesco em pleno estágio de descoberta e busca por identidade. Ouça logo abaixo o som dos caras.

REPUBLIQUE DU SALEM GRAVA NOVO ÁLBUM NOS EUA COM PRODUÇÃO DE MARC FORD (EX-BLACK CROWES)


A Republique foi formada no início de 2010 com a proposta de trabalhar composições próprias, com temática urbana e poética, utilizando o rock e como ferramenta principal para conscientização e atitude.

O som da banda é um amálgama de elementos diversos - rock clássico re-visitado sob um olhar moderno, com nuances de southern e folk. Entre as principais influências, pode-se citar Led Zeppelin, Black Crowes e Allman Brothers, e seus contemporâneos Wilco e Rival Sons. No Brasil, Titãs e Mutantes.

A banda teve início a partir de uma parceria entre o cantor Davi Stracci e o multi-instrumentista Guido Lopes. Ambos se conheceram tocando em um projeto de um amigo em comum, e logo perceberam uma identificação musical, que levou ao início do projeto.
Em abril de 2011 começaram a trabalhar composições próprias, recrutando para as primeiras sessões os amigos Nae Silva (bateria) e Roney (baixo).
No início de 2012, a Republique solidificou sua formação com a entrada de Marcio Albano (baixo) e do baterista Raul Lino, que passam a integrar a banda.


Embora a banda seja relativamente nova, nem sempre um projeto novo é sinônimo de inexperiência e ingenuidade - os músicos individualmente possuem mais de 15 anos de estrada, seja em shows / covers na cena underground, trabalhos sideman e session players, ou através de atividades de composição/arranjo.



A Republique du Salem prepara o seu segundo álbum, que será gravado em Long Beach, Califórnia (EUA), nos meses de outubro e novembro deste ano. O disco da banda paulistana terá produção do lendário Marc Ford (ex-guitarrista do The Black Crowes) e contará com a participação do talentoso baixista californiano Tom Freund (artista solo/Ben Harper/The Silos).

Ford comentou sobre o novo CD, intitulado Republique du Salem: "Estou bastante empolgado em trabalhar com a Republique. São um grupo talentoso e levam a sério o que fazem. Tenho certeza que vamos fazer um grande trabalho juntos!".

O álbum, em inglês, será o sucessor do elogiado O Fim da Linha Não É O Bastante, pré-indicado ao Grammy Latino nas categorias “Best Brazilian Rock Album” e “Best New Artist”. Guido Lopes e Davi Stracci, fundadores da Republique du Salem, também falaram sobre o novo disco, que terá parte de seu processo de gravação publicado nas mídias sociais da banda:


"O Black Crowes sempre foi uma referência para nós em diversos sentidos e, durante uma viagem ao exterior em 2013, tive a oportunidade de fazer contato com o Marc e dizer a ele o quanto éramos influenciados por sua música. Já tínhamos algumas ideias para um novo trabalho da Republique, então pedi a ele se poderia gravar um solo em uma das músicas, participar de alguma forma. As agendas não bateram, mas mantivemos um contato amistoso desde então.", diz o guitarrista Guido.


"A surpresa veio quando ele pediu que mandássemos alguns CDs para ele. Disse que gostaria primeiramente de ouvir o som, para depois avaliar se era interessante (ou não) se envolver no projeto. Depois de conhecer o trabalho, ele demonstrou o desejo não apenas de participar, mas de produzir nosso álbum, e fez o convite para a gravação.", complementa o vocalista Davi.



Site: http://www.republiquedusalem.com.br/
Instagram: http://instagram.com/republiquedusalem
Facebook: https://www.facebook.com/republiquedusalem
Twitter: https://twitter.com/RepubliqueSalem
Youtube: https://www.youtube.com/user/RepubliqueDuSalem
Flickr: https://www.flickr.com/photos/republique
Reduto do Rock: http://redutodorock.com.br/
Plano de Marketing: https://www.facebook.com/planodemarketing

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Ruspo - Estrada sonora e histórias de contos


Ruspo é o projeto musical do produtor, compositor e cantor Ruy Sposati. “Esses Patifes” é seu disco de estreia. Foi escrito e gravado em dois anos, quatro estados e oito cidades, ao longo das viagens feitas em seu trabalho como jornalista.


As 14 faixas do álbum foram realizadas na estrada, em hotéis, aldeias, casas temporárias e quartos emprestados, no computador, com instrumentos reais e de software, samplers e loops. O disco de Lo-Fi Tropical, lançado como primeiro título do selo Um Distante Maestro Discos.
Gravado na estrada em Santos, Campinas e São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Altamira e Belém (PA) e Campo Grande e Dourados (MS), entre 2010 e 2013.

Mixagem e Masterização: Ruspo e Alexis Gotsis
Ilustração: Cauê Carazzai
Voz adicional em 'eua': Marina Ribeiro
Colaboração em 'anastácio': Mir. Bird



Baixe o disco: goo.gl/2nC3dB
Facebook: https://www.facebook.com/ruysposati
Twitter: https://twitter.com/ruysposati


The Minimalistas - Sonoridade power Bossa Nova Indie cativante


THE MINIMALISTAS é um power duo de Brazilian Indie Rock, com músicas objetivas e cantadas em inglês. A formação é de guitarra e bateria, por vezes violão, consolidando o conceito “menos é mais”, esse é norte do projeto. As composições do duo são executadas com guitarra/violão Indie, mas com acordes e a construção harmônica da Bossa Nova. O Indie Rock de NY norteia o groove, mas sempre com presença da brasilidade harmônica.

 
Onze faixas de guitarra ou violão, bateria e cantadas em inglês projetam o álbum de estreia do The Minimalistas como uma obra dinâmica e além fronteiras.
Gravado e produzido em 10 dias nos estúdios da INDIE BOSSA RECORDS em Guaporé, Serra Gaúcha, pelo produtor Cláudio Girardi e masterizado em Los Angeles/EUA por Marconi de Morais, o disco revela uma banda com sonoridade única, experimental e cativante.



The Minimalistas são:
Ale Vanzella: Guitarra, Violão e Voz
Rogério Bento: Bateria

Download do álbum:  https://db.tt/anQ7n5JH
Facebook: https://www.facebook.com/TheMinimalistas
Youtube: https://www.youtube.com/user/theminimalistasindie
Website: http://www.theminimalistas.com.br/

Musa Hibrida - A busca de um som contemporâneo


Musa Híbrida, se espalha pelo mundo, vamos refazer o mundo, nos versos de Caetano Veloso em sua canção Musa Híbrida, que dá nome ao novo projeto musical de Cuqui, Alércio e Vini Albernaz. Musa Híbrida, um híbrido de poesia e canção, composições que transitam por letras dos compositores Alércio e Cuqui; poemas, como o do poeta contemporâneo argentino Cristian de Nápoli e o do poeta provençal Arnaut Daniel – na tradução de Augusto de Campos. Híbrido de instrospecção e extrospecção, mesclando elementos orgânicos e eletrônicos; eletroincidências / eletroelegâncias; violão, bandolim, contrabaixo, caixa com vassouras, grooves de bateria somado a batidas programadas, sintetizadores, samples e outras potencialidades tecnológicas comandadas pelo multi-instrumentista Vini Albernaz: síntese do primeiro álbum intitulado Musa Híbrida, lançado em dezembro de 2012. A busca de um som contemporâneo, atual, com letras que se aproximam por ora da literatura, por ora do próprio universo da canção. O grupo acaba de lançar seu segundo álbum, Verde Fosco Roxo Cinza que está disponível para audição via streaming abaixo, com download gratuito em: http://www.musahibrida.com/ 
   

Space Dones lança clipe e disponibiliza EP na rede‏


Ficção científica, música, dança e vídeo: só com base nestes quatro elementos podemos descrever o trabalho produzido pelo duo fictício Space Dones. A proposta é fazer o publico experimentar, por meio de uma performance cênica, uma realidade alternativa entre terráqueos e seres interplanetários, denominados Abdhomens ou “Homens Abduzidos”.
O EP, intitulado "Álbum Desconhecido", tem lançamento nos formatos CD, Cassete (faixa bônus) e Digital, e conta com 5 faixas gravadas no Garage Band por membros das bandas Dones Primata, Catavento e outros músicos convidados da cidade de Caxias do Sul-RS. A mixagem e masterização ficaram a cargo de Francisco Maffei. As canções carregam uma mistura de beats, com algo de Trip Hop, guitarras funkeadas, muito groove e algumas letras em portuñol alienígena.



Com raízes na estética sci-fi e certas doses de humor, as apresentações do Space Dones não tem suas músicas tocadas ao vivo. O objetivo é envolver o espectador com uma performance de dança realizada por dois DJs dançarinos e um Cyborg com uma GoPro, que cobrem totalmente seus corpos com um macacão de elastano chamado Zentai. O clipe da música “Discos Voadores”, dirigido e editado por Gabriela Demore e Mariana Hoffmann, mostra bem como ocorrem as apresentações e a interação com o público.

O projeto foi realizado de forma totalmente independente pelo coletivo de produção Tédio e contou com apoio de Paralela, Honey Bomb Records, NOIA Coletiva, Cia. Municipal de Dança e Secretaria da Cultura de Caxias do Sul. O Space Dones se apresenta em Caxias do Sul, no dia 1º de novembro, às 19h40min, em frente a Casa da Cultura, dentro da programação do 5º Caxias em Movimento.



Para ouvir o álbum todo escolha umas das plataformas abaixo:

Compre as músicas aqui:
Google Play - http://bit.ly/1Dtu4EY 

Vale a pena conferir esse Dossiê criado pela assessoria do projeto que conta melhor a história desses viajantes interplanetários: http://bit.ly/1wEVZBH

Contato:
 Space Dones: https://www.facebook.com/spacedones?fref=ts


terça-feira, 28 de outubro de 2014

Ouça - Baby Lixo - Bon Appetit, Sucuri (2014)


O primeiro EP da Baby Lixo, Bon Appetit, Sucuri, reúne 7 canções do compositor e produtor Heitor Dantas, concebidas entre 2007 e 2011. A co-produção do álbum é de Jorge Solovera.

Norteados pela idéia de que estavam fazendo um EP de rock, os dois buscaram uma sonoridade mais áspera na gravação, tentando fugir da tradicional estética pop. Acabada a gravação, foram ainda adicionadas às faixas recortes de seriados e desenhos de tv, além de barulhos e efeitos advindos de diversos bancos de som, usados por Heitor em trabalhos de publicidade.

Ligado à tradição dos cancionistas brasileiros e internacionais, Heitor Dantas sempre teve vontade de retomar a linha criativa desenvolvida por sua antiga banda, a Dorothy, que atuou entre o final dos anos 90 e início dos 2000. O grupo trabalhava com a desconstrução da canção popular, pensando a estrutura lírico-musical com a mesma liberdade que um compositor orquestral, um sound designer ou um engenheiro de mixagem.

Com 5 discos já lançados, além de participações em trabalhos de outros músicos e bandas, Heitor vem trabalhando com trilhas sonoras e produção musical. Entre seus principais trabalhos estão a trilha do passeio virtual Kirimurê (realizado pelo Grupo Indigente, da UFBA) e da instalação Miradas, de Maruzia Dultra. Além disso produziu em 2011 o disco "Agora Eu Sou o Silêncio" do grupo paulistano Tratak e o EP "A Realidade Difusa do Cotidiano" de Thiago David (RJ). Atualmente Heitor se dedica ao trabalho "Novas Aventuras no País do Som", de Tuzé de Abreu e ao trio de blues avant-gard Laia Gaiatta.

Depois de escolher 6 das músicas compostas - a faixa "Menino Tempo" foi incluída posteriormente -, Heitor passou o ano de 2012 se dedicando a pré-produção do material, todo gravado em casa. Em dezembro do mesmo ano, o EP começou a ser produzido. A escolha de Jorge Solovera para co-produzir as faixas foi natural, dada a afinidade entre ele e Heitor que remonta de projetos musicais anteriores. Pela multiplicidade de gêneros presentes no seu currículo, o produtor foi ideal para entender o conceito de fragmentação/desconstrução proposto pelos arranjos.

Vozes, coro, percussão, cordas e metais foram gravados no Estúdio Base, que apoiou o projeto. Assim como as baterias, executadas pelo experiente Mauro Tahin. Baixos e guitarras foram gravadas pelo próprio Heitor no Estúdio Assim Sim, de Jorge Solovera.

Mesmo antes de ser mixado, o trabalho foi inscrito em algumas premiações, tendo participado com duas músicas ("Singulário" e "Henry Miller Foi Mendigo") da Mostra Sesc de Música 2013 e da coletânea on line Bootleg 13´ do site Outros Críticos (PE).

O disco foi mixado e masterizado entre final de 2013 e começo de 2014 por Jorge Solovera em seu estúdio e a arte gráfica é de Glauber Guimarães. O EP conta com participações de Ronei Jorge, Mateus Dantas, Orlando Pinho e Eduardo César.

O Bon Appetit, Sucuri foi lançado no dia 19 de julho de 2014, com um pocket show no Café da Walter (Salvador/BA), contando com a participação de Nancy Viégas (Radiola), Tuzé de Abreu, Uru Pereira e Grupo Sotakes. As músicas do EP foram acompanhadas pelo grupo instrumental Tentrio, formado por Thiago Jende (bateria), Eduardo César (guitarra) e João Marques (baixo).
Integrantes:
Eduardo César: guitarra e voz
Thiago Jende: bateria e voz
João Marques: baixo e voz
Heitor Dantas: guitarra, piano e voz

OUÇA

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes - Ouça o duo Baiano em performance ''EP''lética


Com a força dos Búfalos e o peso dos Elefantes esse Duo de Rock nasce no cenário baiano trazendo em seu som uma influência muito marcante da vibração e energia do rock dos anos 70. Led Zeppelin, Jimi Hendrix, Black Sabbath, The Doors, Raul Seixas, Os Mutantes e The Baggios são algumas das fontes inspiradoras que a Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes traz em seu rastro.
Em suas composições, as relações humanas são abordadas com contornos fortes e bem definidos pelos sons de riffs, guitarras nervosas, com a bateria acentuando pesados grooves e viradas marcantes.

Em fevereiro de 2014, o Duo gravou o primeiro EP ao vivo auto-intitulado Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes. Thiago Jende comanda a bateria e o vocal da Búfalos enquanto Jamil Jende conduz a guitarra-baixo e o backing.

Download do EP AQUI

Pessoal da Nasa - Um clipe que ressuscita astros da música e um EP modesto que impressiona


Com influências que passam pelo rock inglês, grunge e pela música brasileira, o PESSOAL DA NASA chega com com o vigor que o rock sempre imprimiu, valorizando a energia das guitarras, porém priorizando a canção. Riffs marcantes, vocal enérgico, swing e letras que falam de sentimentos cotidianos comuns sintetizam a banda.

Produzido por Tomás Magno na Toca do Bandido, o EP de lançamento da banda já chamou a atenção nas redes sociais. Carlos Eduardo Miranda, produtor que lançou nomes como Raimundos, Skank e O Rappa, publicamente em seu perfil do Facebook declarou: “Está aí uma banda de personalidade''.



Formada em meados de 2011 pelo compositor Dado Oliveira (voz), Gui Cavalcanti (baixo), Bruno Castro (bateria), e mais tarde se juntando a César Pintoni e Guilherme Carreira, o PESSOAL DA NASA, recorre aos clássicos do rock, brasileiros ou não, lança tudo isso cuidadosamente no liquidificador com uma pitada de Cauby Peixoto, traz essas influências para sua época e as veste com suas próprias roupas.

O primeiro single do PESSOAL DA NASA, com o título de Amigos e Fantasmas, traduz essa mescla de influências entre o pop/rock e a poesia cantada brasileira.
Com seu EP recentemente finalizado, eles chegam na cena musical oferecendo uma obra relevante, para os amantes da música.

Ouça o EP ''Pessoal da Nasa''

Os Descordantes - Espera a Chuva Passar (2014)


A banda “Os Descordantes”, formada por Diego Torres de Mello, Paulo Roberto Parente, George Naylor e Marxson Henrique, nasceu em Julho de 2010 e desde então tem ensaiado e se apresentado na noite de Rio Branco (AC). A banda já fez inúmeros shows no Loft Bar, passou também pelo The Rock Bar e Palhukas. Em seus primeiros meses de vida, a banda participou dos festivais Grito Rock Rio Branco 2011 e Grito Rock Vilhena 2011, em Vilhena, interior de Rondônia. A banda trabalha com musicas autorais e fazem releituras de clássicos da música brasileira e internacional, seja ela samba, rock ou pop.  Em setembro a banda lançou seu primeiro disco ''Espera a Chuva Passar'' com produção de João Eduardo Vasconcelos, co produzido por Diego Torres e Juliano Gondim. Mixado e Masterizado por Klaus Sena.

ESPERA A CHUVA PASSAR - (2014) Download: http://is.gd/DescordantesBaixar 

Hatchets - Paradoxx Music


Indie feito para as pistas com colagens sonoras que orbitam os anos 80 e 90 de maneira criativa e moderna. Beach House contagiante e sem frescura, direto e coeso. Hatchets aposta alto em sua estética de som com fusões da dance music e o batido indie yankee. ''Paradoxx Music'' é o último single da banda, lançado pelo pomposo Gop Tun e aclamado pela imprensa gringa.
Hatchets apresentou-se no Planeta Terra do ano passado e já tocou ao lado de nomes como Paul Banks, The Whip e outros.
  


PARADOXX MUSIC

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Conheça a pegada noventista da Laundromaths


Rock sujo com pegada doente, é esse o conceito do primeiro EP da paranaense Laundromaths. O registro conta com 4 faixas que exploram sonoridades Lo-fi e o indie noventista de Pavement, Superchunk e caindo em terras nacionais com Lupe de Lupe e Lê Almeida. Altamente recomendado por todos dessa casa.

''I JUST WANNA SAY WE ALWAYS DO THIS AT HOME'' - (EP - 2014)

 Laundromaths é: Tim Fleming -  Guitarra e Vocal
Fernando Parreira -  Guitarra e Vocal e
Paulo César -  Bateria

Produzido, gravado e mixado de forma totalmente independente pelos membros da banda em agosto de 2014 no Bad Cake Studio em Mandaguari-PR.

Capa por Gustavo Gallego

Electric Lo-fi Seresta lança o EP ''Lunare''


Electric Lo-Fi Seresta é o projeto solo de Guilherme Almeida, vocalista, guitarrista e compositor do The John Candy. As músicas são compostas e gravadas rapidamente entre sonhos, memórias déjà vu, guitarras jaguar e melodias cativantes que passam pela sua mente durante a madrugada & cabos com mau contato ao pé da cama. Lunare apresenta 8 faixas bem na linha lo-fi doce que teve lançamento pela carioca Midsummer Madness. As canções mostram uma viagem de guitarras limpas com melodias bem acentuadas, diferente de ''Ao Vivo Com Vocês'' quando a banda tinha a alcunha Electric Lo-fi Orchestra.



Lunare EP

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

OUÇA: Jovem Palerosi - Mouseen


Jovem Palerosi é músico, DJ e produtor musical. Tem experiência em diversos trabalhos musicais e audiovisuais. Já circulou com seus trabalhos por diversas regiões do país, pela Argentina, Inglaterra e colaborou com artistas como Chico Correa (PB), DJ Tudo (SP), Felipe Julián/Projeto Axial (SP), Marcelo Armani (RS), Aeromoças e Tenistas Russas (SP), Falsos Conejos (AR), Malditas Ovelhas! (SP), entre outros. Fez parte da Discotecagem Independência ou Marte à partir do programa de rádio semanal da Rádio UFSCar e coordenou o projeto DJ Residente, criando trilhas colaborativas com diversos artistas para o Museu de Arte Moderna de São Paulo, além de ter realizado a trilha sonora do longa-metragem Delírios de um Cinemaníaco e participado do Rumos Coletivo do Itaú Cultural formando o quarteto "Cadê Dona Maria?". Entre seus principais projetos atualmente está seu trabalho solo como DJ e produtor musical, sua banda instrumental chamada Meneio, a colaboração com o DJ Craca e a composição de trilhas sonoras. Recentemente lançou seu primeiro álbum solo intitulado Mouseen pela netlabel japonesa BumpFoot (Negative Mantras)



Mouseen é a base da palavra que originou mosaico e música. Ela traduz a essência do disco, que parte de fragmentos sonoros que já existiam para criar novas músicas.
Um disco com base em samples e colaborações com diversos parceiros.
Ao vivo, as músicas são recombinadas de forma a criar novas possibilidades à partir de improvisos em cada apresentação.



Ouça o disco e baixe AQUI



Links:
Soundcloud: https://soundcloud.com/jovempalerosi
TNB: http://jovempalerosi.tnb.art.br/
Facebook: https://www.facebook.com/jovempalerosi

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

TremBemDitos - Sonoridade delirante que resgata os tempos áureos do rock


Formada em 2008 por quatro amigos que buscavam um som livre e experimental, os TremBemDitos atuam na cena independente de Belo Horizonte levando ao público uma viagem sonora que resgata as boas influências do rock clássico misturado à sonoridade da cultura mineira.


Rock e poesia sempre andaram juntos. Essa união influenciou a banda TremBemDitos a produzir um trabalho que propõe uma experiência diferenciada com o álbum de rock. Mais do que um encarte com as letras das músicas, o disco “O Mistério Mineral” vem acompanhado de um livreto composto por poesias e artes plásticas. O álbum, produzido de forma independente com apoio de financiamento coletivo pelo site Catarse está disponível para audição e download no site da banda.



A música que dá nome ao álbum também ganhou versão audiovisual através de um clipe dirigido pelo cineasta e amigo, Samuel Rodrigues. A produção do vídeo foi realizada com recursos físicos cedidos pelo grupo Giramundo, e com trabalho de todos os integrantes da banda. A narrativa audiovisual conta ainda com animações feitas a partir das ilustrações de Mara Rodrigues, artista plástica, que também assina a construção estética do álbum “O Mistério Mineral”.



Atualmente a banda trabalha a divulgação de ambos os materiais, tocando com parceiros na noite belohorizontina e cidades do interior de Minas Gerais. Sempre criando novos rocks, como quem põe carvão na fornalha e faz o trem apitar, seguindo seu rumo incerto, sem parar...


TremBemDitos é:
Othon de Saboia: voz, teclado, guitarra e gaita
Ricardo Augusto: voz e baixo
Thiago Alves: bateria e percussão
Vinícius Brandão: violão e guitarra.

Links:

Estrondo comemora primeiro sopro de vida com um puta festival


Comemorando um ano de bons serviços prestados à música independente e sempre cercados por amigos, acontece no próximo dia 30 de outubro o Festival Estrondo, com as bandas: Bratislava, Gullivera, Tagore, Marcelo Perdido e Djs set Daniel Peixoto e Marcos Xi.

Sobre a produtora
 A Estrondo é uma empresa apaixonada por música. Com forte base e parceria com os meios independentes de comunicação e a grande mídia, a missão da “Estrondo Assessoria Musical” é o trabalho não apenas com a divulgação, mas na concepção de conceito e planejamento.

Os sócios Eduardo Araújo, Marcos Xi e Dayze Rocha unem suas experiências para criar uma comunicação integrada: mídias sociais, mídia online, impresso, televisão e outros meios. Na bagagem, contam com o respaldo de produções de shows, articulações com produtores, relacionamento com a imprensa especializada geral, booker e posicionamento de marca.

Dentre os clientes que já estiveram e estão com a Estrondo: Bicicletas de Atalaia, Daniel Peixoto, Maglore, Bruno Souto, BIANCA, Ganeshas, Gullivera, nana e outros como a casa de shows Da Leoni (antigo Studio SP).

O diferencial da Estrondo é o foco em outras regiões além do eixo Rio e São Paulo, graças as articulações no Centro-Oeste e Nordeste, potencializando os artistas em outras áreas menos saturadas, balanceando seu posicionamento como artista e produto.












Serviço:
Festival Estrondo
Data: 30 de outubro
Local: Centro Cultural Rio Verde, Rua: Belmiro Braga, 119, Pinheiros (SP)
Horário: 21 h
Na compra de um ingresso você ganha o disco de uma das bandas participantes.
Compre seu ingresso AQUI  e fique por dentro do Festival Estrondo 


Transtorninho Records - Lançamento #2 - "151515 - Afraid of Width"‏


Transtorninho Records é um selo formado em Recife por gente que gosta principalmente de música rock, mas também de esquisitices variadas em termos de som e imagem. Seu lançamento de estréia foi o taubateano Vinícius Dias, com seu projeto "DIAZ", e seu single "Não é por isso" (disponível no bandcamp do selo). Agora a vez é do disco cheio "Afraid of Width" do alagoano Felipe Soares, que decidiu usar a alcunha de 151515 para esse novo projeto.


Depois de tocar bateria durante cinco anos em bandas maceioenses (Sticky Garden, Gatas & Sorvetes e Los Prego) e assumir a guitarra na banda recifense Amandinho, Felipe decide explorar o lado íntimo de suas composições adolescentes, e então nasce o 151515.

O Felipe é um cara firmeza que curte um som firmeza. Tem muita gente assim no mundo (ainda bem), mas na real a diferença é que ele curte esse negócio de gravar e as musicas que ele faz são bem boas né, tem isso. Daí tu ouve o disco desse projeto dele, o 151515, e pensa “eita bicho desenrolado”, porque dá pra ver que o lo-fi não significa negligenciar a música, e sim transformar as limitações em estética, em arte, em rock.

"Afraid of Width" foi gravado no estilo "one-man-band" nessas últimas férias que o Felipe passou em Maceió e transparece influências novas e influências velhas tudo amarrado num pacote lo-fi amplificado pela falta de canais e pela cabeça perturbada do nosso amigo. Tá bom pra quem curte aquele Ben Kweller, as melodias simplesinhas do Daniel Johnston, com um ar de White Stripes das antigas (saudades) e um sopro de novidade punk que remete a Wavves, é bem bom sério.
Dá um saque aí que tá bem massa, o cara é firmeza (eu garanto!!), são doze faixas que mostram que o punk não morreu e o lo-fi não acabou.

OUÇA NA ÍNTEGRA E BAIXE GRATUITAMENTE:



Facebook: https://www.facebook.com/projeto151515
Transtorninho Records:
https://www.facebook.com/transtorninho
http://transtorninhorecords.bandcamp.com/


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Infraaudio: Primeiro álbum cheio da banda em fase de maturação


INFRAAUDIO – INSTANTE INFINITO

A banda do Vale do Paraíba, Infraaudio, lança no 2º semestre de 2014 seu primeiro álbum cheio. Com produção independente e de forma colaborativa, o CD intitulado, “Instante Infinito” destaca-se por suas músicas inovadoras, propondo o realce dos sentidos, possibilitando a reflexão às várias formas de se fazer música. Dando continuidade a sonoridade já característica da banda, guitarras de Fênix e Célio contorcendo-se em distorções, riffs limpos e silencio, linhas marcantes do contrabaixo de Daniel ainda mais harmoniosas e a bateria pulsante de Rodrigo, que neste álbum foi mais explorada, compõem o instrumental do disco, que nas 7 faixas trilham o caminho do experimentalismo, do noise e do rock. Das músicas gravadas e mixadas por Marcelo Menezes com a unidade móvel do “The Moon Home Studio” a banda explorou diversas formas de gravar, bateria, contrabaixo e vozes foram gravadas na InfraCaixa, estúdio de ensaio da banda, as guitarras gravadas na sala 4 do Estúdio E!, em Jacareí. Com 4 musicas com linhas de vocais, Célio Esmério e Felipe Fênix dividem-se nesta tarefa, fazendo verdadeiras camadas de vocais. Instante Infinito é um álbum para encantar e hipnotizar o ouvinte, com a maioria de musicas longa, o tempo aqui vai se perder nos ruídos e nas notas musicais.




Formada no inicio de 2010 em Jacareí, Vale do Paraíba, São Paulo, a Infraaudio exprime através do seu experimentalismo dissonante, visões, percepções, sentimentos e música, criada sob afinações e timbres pouco usuais, através de técnicas de expressão inovadoras indo na contramão do usual e corriqueiro, Felipe Fênix (guitarras e voz), Célio Esmério (guitarras e voz), Daniel Paiva (contrabaixo), Rodrigo Leal (bateria), buscam na vanguarda experimental sua fonte de inspiração, criando uma unidade gritante e instigante entre seus criadores. Improvisação, radicalismo musical, sim e não, a verdade é que a Infraaudio busca despertar imagens, provocar sentimentos, sejam eles bons ou ruins, pois a música aqui é o caminho para ultrapassar os limites dos sentidos.

Articuladores do cenário indie do Vale do Paraíba fundam em 2013 o Coletivo Jacaré Noise, que conta com outros artistas colaboradores para a difusão da musica e outras manifestações artísticas, são responsáveis por diversas iniciativas para música independente, onde se destaca o projeto “Infraaudio Convida”, a etapa jacareiense do festival “Grito Rock” e a “Oficina SONORA”..





Atualmente a banda trabalha na produção final do seu novo disco com previsão de lançamento para 2015 e ainda esse ano rola um ou dois singles na rede.

Links Úteis:
Soundcloud: https://soundcloud.com/infraaudi
Youtube: https://www.youtube.com/user/infraaudio
Facebook: https://www.facebook.com/Infraaudiobanda
Twitter: https://twitter.com/infraaudio
Toque No Brasil: http://tnb.art.br/rede/infraaudio
Coletivo Jacaré Noise: http://www.jacarenoise.com.br/
Curta Metragem ''Entre Laços'': https://www.youtube.com/watch?v=IeiNndjje5I
Longa Metragem ''Steve Cicco'': https://www.youtube.com/watch?v=RfuVVtdTa5I

CONTATOS:



Ouça ''Espora'' o novo álbum da Chacal


Chacal é um quarteto roqueiro do Vale do Paraíba com influências de bandas alternativas da década de 90, indo do grunge ao punk com muita sinceridade. 

Com integrantes de São José dos Campos e Caçapava, Gustavo Magalhães (guitarra e vocal), Diego Xavier (guitarra e vocal), Diego Esteves (baixo e vocal) e Eder Penha (bateria) acabam de lançar seu primeiro álbum: ''Espora''


Gravado entre abril e maio de 2014 por Diego Xavier, no Estúdio Wasabi, e mixado e masterizado por Cassio Zambotto, Espora é o sucessor de 3 EP's e muitas demos e fitas K7 lançadas pela banda, que já dividiu palcos com bandas como Garage Fuzz, Hateen, Dead Fish e Questions.

Lançado pela Bigorna Discos, Together Records e A Arca doHardcore em CD e K7, Espora está sendo divulgado em uma turnê pela banda desde o lançamento, que já passou pelo interior de São Paulo, Santa Catarina e Paraná.



Ouça o álbum: 

Facebook: https://www.facebook.com/chacalhc
Bigorna Discos:contatobigorna@gmail.com

llOVNi - Dupla lança álbum completo e um vídeo para a faixa ''A Vida Eh Breve''


llOVNi é um duo paulistano que chega em 2014 a seu primeiro álbum completo - ''A Vida Eh Breve'' - com 10 músicas chapantes e inéditas. Composto por Rica Guimarães e Diogo Silva, llOVNi viaja pelo submundo e tateia sonoridades obscuras com um teor soturno que deixa o ouvinte apreciador do gênero querendo apertar o Repeat a cada nova faixa translúcida do álbum. 

O novo álbum completo apresenta um caminho criativo que mescla a sobriedade de melodias cruas, tendenciosas e impulsionada por ruidos em um ponto de colisão alinhada dentro da mentalidade insana e torta da dupla. Cada faixa flutua em caminhos caóticos e melódicos, parece querer apresentar uma leitura particular ou mesmo, apenas brincar com os sons obscuros convencionais do gênero. Pós Punk amargo sem cair na mesmice e um Darkwave bem alinhado com a proposta do trabalho. Altamente recomendado.  
    


Ouça/Baixe o álbum



Álbum Virtual com Encarte:
https://drive.google.com/file/d/0B8vKABPLi3xSYUJmcm1fMFBPNXM/edit?usp=sharing

Links:
https://www.facebook.com/pages/llOVNi/28923761440
http://grooveshark.com/#!/llovni
https://www.youtube.com/user/TVLOVNi

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Descartes - Banda divulga música inédita em session e anuncia novo álbum

A banda Descartes lançou oficialmente uma música inédita, gravada e filmada ao vivo no Porão da Casa Paralela em Caxias do Sul-RS. É o primeiro Honey Bomb Sessions do selo de mesmo nome. O vídeo mostra a banda executando com energia a música “Análise Poética de Conflito Temporal”, que estará presente em seu segundo trabalho de estúdio, intitulado “Ensaio”. session foi produzida especialmente para apresentar o novo álbum e o vídeo, que conta com todas as músicas, será liberado no canal da banda dentro de alguns dias. A liberdade talvez seja a principal marca do quarteto e nessa música já se percebe uma prévia do que virá pela frente: pegadas do Hardcore cru e sincero a lá Fugazzi com trechos de spoken word, uma performance em que as letras de músicas, poemas ou histórias são faladas ao invés de cantadas. “Escutamos bastante Chico Buarque e MPB no geral nas gravações, mas gostamos de deixar fluir, experimentar e improvisar livremente” relata o vocalista e guitarrista Leo Lucena. Confira o vídeo abaixo:



Conheça a Descartes:
A banda nasceu em meados de 2011, formada por Francisco Maffei (guitarra/voz/sopros), Leonardo Frizzo de Lucena (voz/guitarra), Maurício Rossini (baixo/voz) e Diogo Dall'Agno (bateria) na cidade de Caxias do Sul-RS.
Em 2012 lançaram seu primeiro EP, intitulado Steve Julio, uma obra que já mostra muita experimentação com bases no Hardcore e variações de ritmos ora suaves, ora nervosos.

Sobre o selo:
Honey Bomb Records é um selo independente de Caxias do Sul - RS. Um grupo de artistas que decidiu fazer por si. Sem ver uma opção melhor para lançar os trabalhos de suas próprias bandas, começaram o selo e lançaram materiais físicos e digitais. Basicamente um coletivo de bandas.

Dando certo para as nossas bandas, a ideia é conseguir ajudar quem faz um som que se identifique com a nossa visão do lance todo, nossa proposta. A Honey Bomb Records quer que cada maluco sonhando dentro de uma garagem, consiga amar cada vez mais aquilo que faz e ter aquilo que faz amado por outros.




Links:
Descartes:
https://www.facebook.com/descartescxs
https://soundcloud.com/bandadescartes
http://www.youtube.com/user/DCTSvideo
https://twitter.com/descartescxs

Honey Bomb Records:
https://www.facebook.com/honeybombrecords
https://soundcloud.com/honeybombrecords
https://www.youtube.com/user/HoneyBombRecords
http://honeybombrecords.bandcamp.com/
http://www.honeybombrecords.com.br/



Antiprisma: O som nostálgico e um vídeo cativante


Antiprisma é uma dupla de São Paulo formada no início de 2013 por Elisa Moreira e Victor José. O som folk rock que remete a artistas como The Byrds, Kurt Vile, Secos & Molhados e Syd Barrett sustenta as letras que sugerem um cenário livre, permeado de paisagens e impressões pessoais.

Mesmo com uma identidade firme e bastante predominante nas composições, essa “banda de dois” gosta de variar dentro de sua própria criação, podendo assim passear entre a sutileza do lirismo e a liberdade de sonoridades mais abstratas – em suma, desde o pop até sons psicodélicos e inesperados.

Recentemente, a dupla disponibilizou na internet suas primeiras canções, gravadas de forma totalmente independente, surpreendendo pela qualidade obtida por meio de equipamentos caseiros.



A Antiprisma atualmente está trabalhando na divulgação de seu primeiro EP homônimo, lançado pelo selo Mono.Tune Records. Abaixo você confere o videoclipe da faixa ''Você Imagina Demais'' e também saca o trabalho da dupla em seu EP.





Facebookhttps://www.facebook.com/projetoantiprisma
Mono. Tune Recordshttp://www.monotunerecords.com/

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Câmera: Ouça 12 canções, Ouça esses caras agora


Um tempo grande mas proveitoso e necessário para o quarteto mineiro do novo e promissor indie,  superar todas as expectativas e descentralizar seu som em seu primeiro grande disco. Ouvindo os antigos trabalhos do Câmera, fica a sensação de que a banda evoluiu em uma profundidade extremamente madura, experimental e na medida certa em Mountain Tops, o primeiro disco cheio e carregado de sentimentos evolutivos que já deixam a mordida doce do trabalho feito com amor e sinceridade.

O disco apresenta 12 faixas que trazem uma marca difusa entre si, revestidas de açúcar e com melodias solidas e encharcadas de bons sentimento que é quase impossível parar de consumir. Guitarras angulares e batidas de concussão dão as boas vindas ao tão aguardado disco dos mineiros. Ouça, baixe, compartilhe sem moderação.
    

Super Amarelo: Banda lança seu primeiro disco pelo selo alagoano Gangue do Beijo


SUPER AMARELO "FOR YOUR BABIES"

A Super Amarelo é uma banda formada por três caras de Alagoas: Gabriel Duarte, cantor romântico e guitarrista; Marcos Cajueiro, guitarrista instigado e Rodolfo Lima, baterista sequelado. Desde que se conheceram, fizeram o que todos que gostam de música fazem quando encontram alguém com os mesmos gostos: uma banda. Não qualquer banda mas uma banda indie, e indo mais fundo ainda, uma banda de power pop. Mas a intenção nunca foi limitadora e o indie power pop é puxado e jogado e destruído e reconstruído várias vezes ao longo do disco. E o disco? Depois de algumas músicas lo-fi no myspace e outras tentativas sem sucesso por motivo de delinquência juvenil, finalmente, pra banda e pra muitos, foi parido o disco. Dizem que os verdadeiros discos pop eternos são aqueles com dez músicas, onde todas podem ser singles. Então, vamos a ele:

1. EVERYWHERE I LOOK AROUND

Mostrando as raízes clássicas da banda, surge de primeira esta música, provando que de indie pop estão todos bem servidos. Uma bela balada que vai se tornando um tanto desesperada no final, mas é que o Gabriel é muito romântico mesmo. Pra ouvir de mãos dadas.

2. POST PUNK X MAN

O disco então começa com a porrada, mas uma porrada melódica e fofa que te faz acordar de um pulo e começar a dançar (ou bater cabeça). Uma das músicas mais conhecidas da galera e que já vai deixando um refrão grudento na sua mente por um tempão.

3. STARFUCK

"Faz a rodinha aê!" A juventude sônica continua a pegar pesado nessa música que dá pra cantar junto e se bater com os outros ao mesmo tempo, alternando guitarras dissonantes e melódicas pra causar aquela mistura doida que dá certo.

4. TURN AROUND

Indo com um pouco mais de calma agora, afinal, o indie precisa curtir um pouco sentado. E ele também precisa de uma boa seção de air guitar,  né mesmo? Agora imagina essa tocando logo depois de Bon Jovi, no bloco de clássicos da rádio. Faz sentido pra mim.

5. ICEKISS

Uma música épica e bela que, na minha opinião, podia ser a música de encerramento da trilogia Senhor dos Anéis, com o Frodo se lembrando de todos os momentos bons e difíceis da jornada, abraçado com o Sam. O Gandalf lá olhando e sorrindo. Agora sim um final feliz.


6. SPARKLING LIGHT

Lembram quando eu disse que o Gabriel é um cara romântico? Então. As luzes e os garotos brilham bastante aqui. Bonita e leve, pra toda a família curtir. Acho que nessa hora da gravação o pedal de distorção tinha quebrado.  Muitos não sabem mas essa música foi vencedora do Grammy Alagoano de Música Indie.

7. SUGAR PIE

Um verdadeiro clássico do, então menino, Rodolfo Lima, cantados por muitos casais felizes e solteiros amargos nas casas de show de Maceió, por muitos anos. Lembrada até hoje por pessoas legais da cidade, o que faz alguns integrantes da banda fazerem charme de não gostar dessa música, mas todos sabemos que estão errados. Parem!

8. OCTOBER 12

Algumas bandas de twee pop gostam de chamar seu som de "pop puro" e eu acho que cabe bastante aqui. Eu imagino essa música como o Parabéns Pra Você de um aniversário triste mas só sou eu né. Os backing vocals te chamam pra cantar junto. E hell yeah...

9. PAM PAM PAM

Como se já não tivesse power pop grudento o bastante nesse disco, mais um clássico da cena aí pra você, com pitadas de casio pop de presente. O fade out no final já vai deixando saudades do disco. Mas não acabou!

10. EVERYTHING IS ALRIGH FOREVER

Pra quem tinha dúvidas de que tudo ia acabar bem para sempre, tá aí a prova. Depois de muita porrada e músicas bonitas, aqui está a essência de tudo. Uma babadinha, falando de garotas. Foi assim que tudo começou e é assim como tudo vai acabar.


Então, vamos ouvir o disco? sim, sim, sim... Saca esse Power Pop Indie doidão abaixo.




Gravado e Mixado em 2014 no estúdio Magic Room , Maceió, AL - Brasil
Masterizado no SAGE AUDIO MASTERING STUDIO - Nashville, TN - EUA
Produzido e lançado por Gangue do Beijo
Arte por Herbert Loureiro
Fotos por Nando Magalhães

Super Amarelo é:
Gabriel Duarte - Guitarra e Voz
Marcos Cajueiro - Guitarra,  voz e casio
Rodolfo Lima - Bateria

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Câmera: Banda libera mais uma faixa de Mountain Tops


Seguindo com mais uma nova faixa e prenúncios de voos altos a partir de 15 de outubro, data do lançamento do novo disco da banda mineira Câmera. O aguardadíssimo ''Mountain Tops'', já revelou o single ''Lost Cause, I Surrender'' como sua primeira surpresa agradabilíssima e fofa. A nova faixa se chama ''Whatever Works'' e começa delicadamente pontuada por duas baterias cruas e um punch apurado e ensolarado. Confira mais uma boa faixa desse disco que promete muito.

sábado, 4 de outubro de 2014

Ouça - Luiz Nascimento e seu projeto Na Trilha do Sol


Luiz Nascimento  é cantor, compositor, multi-instrumentista autodidata e mineiro. Há dez anos é vocalista da banda Martelo de pano e desde então desenvolve seu trabalho autoral, entre outros projetos. O CD ''Na Trilha do Sol'' faz parte do projeto homônimo de viajar rumo ao Nordeste e Norte do Brasil, além de outros países da América do Sul, a fim de divulgar suas composições e também conhecer e beber de novas culturas. O interessante é que além de arranjar, gravar e mixar suas músicas, Luiz também fez voz, violão, sanfona, pandeiro, zabumba, triângulo, latão de solvente, derbake, apitos, caxixi, coquinho, sopro de vento e trombone vocal no megafone. Tudo de forma independente, na sua casa.
  

DIAZ: ''Não é por isso'' - compositor lança single pelo selo Transtorninho Records


Após quatro anos a frente da banda Sin Ayuda, o compositor e guitarrista Vinicius Dias faz o caminho inverso. Sua alcunha é seu nome, e com seu instrumento em mãos nasce o projeto DIAZ.

Em 2013 foi lançado ''Delirante EP'', com 3 faixas interligadas progressivamente que permite uma viagem sonora totalmente instrumental. Lançado virtualmente pelo selo paulista Discos e Afins, atraiu a curiosidade de quem esperava algo semelhante ao seu antigo projeto. Ainda em 2013, lançou pelo selo joseense Bigorna Discos, o EP ''Caipira'' 100% em português.

Natural de Taubaté/SP, DIAZ libera o single ''Não é por isso'', lançado pelo selo Transtorninho Records e o b-side ''Silenciosamente espero ela chegar''. Também apresenta duas homenagens  com as versões de ''Sujeito sem brio'' da banda Hierofante Púrpura e ''Terrapin'' do inigualável Syd Barrett.

  

Download de ''Delirante EP'' AQUI
Download de ''Caipira'' AQUI
Ouça/Baixe o single em: https://transtorninhorecords.bandcamp.com/releases

Links:
https://soundcloud.com/projetodiaz
https://www.facebook.com/projetodiaz

Transtorninho Records (Recife/PE):
https://www.facebook.com/transtorninho
http://transtorninhorecords.bandcamp.com/releases


A Fase Rosa: Preparando o caminho para ''leveza''


Depois do lindo ''Homens Lentos'', a banda mineira A Fase Rosa prepara seu mais novo disco intitulado, ''Leveza''.Trabalhando elementos que se entrelaçam de maneira simples e corajosa, o grupo soltou um Teaser de apresentação do que virá por ai. Confira o vídeo abaixo e faça download de Homens Lentos.

 

Download de ''Homens lentos'' em:
http://www.afaserosa.com.br/

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Rallye: Quinteto mineiro apresenta videoclipe da faixa ''OBSOLETE''


Rallye é um quinteto mineiro de punk, hardcore e rock 90's. Isso fica bem claro na audição de qualquer uma das suas músicas: Guitarras trabalhadas, bateria frenética e um baixo competente, ganham corpo com melodias de voz que remetem ao som alternativo de década de 90. As influências passeiam por bandas da cena punk rock e indie dos anos 90, principalmente aquelas que figuravam no cast de gravadoras como Revelation, Dischord e Sub Pop. Bandas como: Farside, Hot Walter Music, Queens of The Stone Age, Sunny Day Real Estate, Fugazi, Fu Manchu, Samiam, Braid, entre outras.




Depois do lançamento do seu EP, ''Please, Drive Faster'', a banda soltou na rede o videoclipe da faixa ''Obsolete''. Nas palavras da banda, o registro soa como uma urgência acelerada, uma repetição cheia de adrenalina e uma demência sem precedentes: ''OBSOLETE - in.de.ci.são. - O estado de não ser capaz de decidir; hesitação apesar deste ser o tema de obsolete, definitivamente não era o sentimento do Rallye ao escolher a música para fazer um vídeo. Esta faixa é a primeira do lado B do 7'' Please, drive faster, lançado em junho de 2014 pela Burning London Records e Definite Choice Records. A revolução será assistida. Jonathan Tadeu e Pablo Bernardo souberam muito bem captar os sentimentos de uma urgência acelerada, de uma repetição cheia de adrenalina e de uma demência sem precedentes neste novo registro. Em um tempo atual em que os estados emocionais são cada vez mais traduzidos e expressos em videos, o Rallye usa este veiculo para transmitir toda a aflição, desordem e hesitação que estão sob a pele de cada um. A individualidade e o anonimato verdadeiro, foram conscientemente respeitados durante as filmagens, o personagem que corre de lá pra cá propositalmente não tem seu rosto mostrado, entre tantas outras questões, vimos questionar o mar de selfies mentirosas, os olhos das almas vazias que estão por ai espalhadas em corpos trabalhados.
Qual a necessidade de aprovação e aceitação incondicional do outro? A decisão passa pelo conhecimento próprio antes de tudo. Descubra-se, escute-se e respeite-se, se não, a próxima corrente que certamente surgirá vai chegar e te deixar com a sensação que você está ultrapassado novamente.
 

Rallye é:
Filipe Monteiro: (Voz)
Glauco Ferreira: (Guitarra)
Eduardo Loureiro: (Guitarra)
Moises Bekerman: (Baixo)
Gentil Nascimento: (Bateria)

Links:
https://soundcloud.com/rallyerock
http://rallye.bandcamp.com/
https://www.facebook.com/rallyerock

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Ouça - Negative Mantras lança EP cheio de viagens dançantes e orgânicas


Negative Mantras é uma grata surpresa da talentosa safra de bandas que resolveram abolir a escravidão de sonoridades radiofônicas, melodias atrativas, chatas e mais do mesmo. O duo que tem essência de trio em estúdio, acaba de lançar seu primeiro trabalho produzido pela própria banda, gravado e mixado no MonoMono Studio, masterizado na Alemanha e sob a tutela do selo Bigorna Discos. O EP conta com 5 faixas: PinealMaçã DouradaGayo Seco, Éris e Claridão. Som chapado e uma soma de psicodelia atrativa.



Mantras: ''Nos tempos do menos é mais, queremos ser mais para ser menos. Abraçamos, abarcamos, englobamos e cuspimos a batida dub, a ambiência shoegazer e a obscuridade kraut, os cavacos, os ruídos, stockhausen, e a estratosfera. Queremos a infinidade dos mosquitos, dos grãos de areia, dos ponteiros de segundos, do piscar de olhos, das bactérias, dos átomos. Queremos o infinito da essência. ''
     


Negative Mantras:
Julito Cavalcante: (The Vain, Sin Ayuda)
Taian Cavalca: (Cabana Café)
V.masta.