domingo, 31 de agosto de 2014

Entrevista - The Tump

O Rock não precisa ser cabeça para fazer o ouvinte dançar, essa parece ser a tendência do duo The Tump.
Música sincera, dançante, suja, romântica, mas não menos sacana e provocadora. Em pouco tempo, a dupla abasteceu cabeças com seu arsenal de faixas que soam radiantes e joviais, em um cardápio de ritmos, batidas e arranjos desarranjados que são distribuídos aleatoriamente por cada instrumento manipulado por Bárbara Lobato e Alex Lima. Vale lembrar que a The Tump concorre ao prêmio Dynamite de Música Independente na categoria Revelação. Para votar, acesse o site: http://www.premiodynamite.com.br/
Aproveitamos essa onda sonora em torno da banda e fizemos uma entrevista via email, regada com muito bom humor, onomatopeia, inspirações, músicas dançantes e planos para o futuro. Confira abaixo esse papo furado.


Primeiramente, como surgiu a origem do nome The Tump? há um simbolismo ou uma história por trás disso tudo?

Então, o ''Lincão'', grande amigo nosso, nos batizou com esse nome. Ele nos disse que Tump era uma onomatopeia, que significava ''um baque, uma porrada, um barulho''. Pra não ficar vazio, adicionamos o The, então ficou The Tump ''O Barulho''.


Como e quando começou essa ''Gran Putada?''

Temos duvidas quanto ao tempo exato em que começamos.... Foi algo entre final de 2011, começo de 2012, quando saímos das antigas bandas e decidimos montar um duo.


Vocês são do interior do Pará, digam como funciona a cena independente por lá?

Não existe ''uma cena'' atualmente por lá... As bandas tocam, fazem os corres, mas o público é muito restrito a um gênero especifico de música. O velhoooo rock in roll rs.


Como é essa história de ''NO GUITARRISTAS?''

Começamos com esse lance por pirraça ou algo assim... e fomos ficando nessa brincadeira, sem acreditar muito. Acabamos gostando e driblando as limitações que as 4 cordas te dão.


Como funciona o processo de composição na banda? quais são as inspirações para letras tão debochadas e quentes?

Fazemos tudo de forma muito simples... normalmente, Alex faz as baterias e o baixo base, eu, o baixo riff, tecladinhos e voz... não seguindo uma ordem, claro. As inspirações vem do dia a dia... dos males de amor, do egoismo alheio... tudo bem escancarado, sem filtros... por isso as músicas podem variar tanto de tema, ou vibe.


A letra de ''Modern Lovers'' chama bastante atenção por ser atual e não só pela sonoridade colorida, mas pelo apelo hi-teck, quase um culto à tecnologia. É uma critica ao consumismo tecnológico ou só uma ferramenta do som de vocês?

Quando pensamos na letra, queríamos instigar sem sermos diretos de fato... então a interpretação ta ai... a letra pode falar de pessoas que amam seus aparelhinhos  modernos de forma saudável, existem pessoas que não conseguem viver sem, que se isolam do mundo real...
      

Vocês dois já passaram por outras bandas, isso ajudou a trazer maturidade ao som que hoje é trabalhando?

Não necessariamente, os sons eram outros, as influências eram outras... acho que essa paixão por músicas dançantes, sinthys... sempre foram paixões antigas. A aproximação amorosa nos apresentou essas afinidades musicais.


Eletro rock, Noise pop, Chillwave, Punk experimental... até que ponto vocês acham importante que uma banda se paute por um determinado estilo para criar?

Olha, difícil apontar até que ponto... cada um vai até onde quer... no nosso caso, as influências não influenciam tanto. Claro que existem coisas que gostamos muito, e isso fica claro nas nossas músicas... mas por exemplo, posso citar B52's, Stooges, The Vines, MC5, como sendo influencias nossas. Tudo assim, na mesma linha. Nossas influências vem de coisas que nos despertam, independente do estilo.



Quais bandas, artistas, vocês tem ouvido ultimamente? recomendam quais?

Assim, eu sou mais reservado nas minhas playlists rsrs. Fico no arroz com feijão: The Cramps, The Who, The Clash, Iggy... claro que ouço varias outras coisas, mas elas não entram no meu celular, rs. Já a Bárbara é muito ''Bagaceira'' mesmo, e poe pra ouvir! cê encontra The Kills, Hip Hop, Alpine, Metronomy, Nina Simone e Leona, assassina vingativa na mesma playlist... Acho que podemos recomendar: Jessy Bulbo, a antiga banda dela Las Ultrasonicas... Alpine, Haim, Badhoney, Lust For Sexxx dentre outras...


Quais os planos para 2014? até o fim do ano rola um disco?

Então, iremos lançar um vinil até o final do ano, pelo selo ''Discosaoleo''. com 8 músicas, o disco irá se chamar ''LE - TAL''. Paralelo a isso, iremos começar a gravar um ''epzinho'' com 5 músicas inéditas, e um videoclipe, quem sabe.


Soundcloud:https://soundcloud.com/thetump
Twitter:https://twitter.com/thetumpbass

Nenhum comentário:

Postar um comentário