segunda-feira, 10 de março de 2014

O Rock passa pelo cerrado




Não dá mais para duvidar da existência de um mercado (forte) independente no  Brasil.
Por mais que ainda existam dificuldades e economicamente ainda não sustente ninguém, o fato é que as coisas estão se consolidando.
Prova disso são os festivais que ganham cada vez mais força e autonomia, com Goiânia liderando o movimento, provando estar no cerrado uma das melhores e mais bem organizadas cenas roqueiras do pais, feita com competência, profissionalismo e uma qualidade raramente vista.

Celeiro de varias bandas de altíssima qualidade, Goiânia se destaca por movimentar uma cena independente forte e ousada, com suas dificuldades cotidianas e genialidade caipira.

Dentro desse ''Céu de Marte'' temos os talentosos e lisérgicos Boogarins.
  Esse vasto mundo do rock brasileiro, ele se inclina para mais perto do pop psicodélico dos Mutantes do que o thrash metal de Sepultura. então, novamente, o nome da banda não tem nada a ver com o Bicho- Papão, mas em vez da flor de jasmim perfumando o bogarim a partir do qual eles tomaram sua inspiração. Se a psicodelia está em voga, a banda mostra o estado psicodélico que move as plantas que curam.


''Miss lisergia de 69
Lucifernandis das cordilheiras
Deu-me os livros
Abriu-me a cabeça
Lucifernandis la do sul...''

Nenhum comentário:

Postar um comentário